Incidência da Síndrome de Asperger

Texto original: INCIDENCE OF ASPERGER’S SYNDROME

Tradução: Audrey Bueno

 

As estimativas de prevalência variam enormemente. Uma revisão de 2003 de estudos epidemiológicos encontrou prevalência de 0,03 a 4,84 a cada 1.000 pessoas, com um índice de autismo para Asperger na proporção de 5:1; a combinação desses dados com uma estimativa conservadora de prevalência do autismo de 1,3 para cada 1.000 pessoas, sugere indiretamente que a prevalência da síndrome de Asperger deva estar entre 0,26 para cada 1.000. Parte da variação nas estimativas vem das diferenças nos critérios diagnósticos. Por exemplo, um estudo de 2007 relativamente pequeno com 5.484 crianças de oito anos de idade na Finlândia descobriu que 2,9 crianças para cada 1.000 preenchiam o critério diagnóstico do CID-10 para síndrome de Asperger, 2,7 para cada 1.000 para o critério de Gillberg e Gillberg, 2,5 para o DSM-IV, 1,6 para Szatmari et al., e 4,4 para cada 1.000 considerando a união dos quatro critérios. Meninos parecem estar em maior risco para a síndrome de Asperger que meninas; estimativas por sexo variam de 1,6 a 4,1, usando o critério de Gillberg e Gillberg.

Ansiedade e depressão são as condições mais comuns vistas conjuntamente; essas comorbidades em pessoas com a síndrome de Asperger são estimadas em 65%. Depressão é comum em adolescentes e adultos; crianças são mais propensas a apresentar TDAH¹. Relatos têm associado a síndrome de Asperger com condições médicas como a aminoacidúria e o afrouxamento dos ligamentos², mas estes foram relatos de casos ou pequenos estudos e não houve fatores associados com a síndrome de Asperger ao longo dos estudos. Um estudo de homens com a síndrome de Asperger encontrou uma taxa elevada de epilepsia e um alto índice (51%) de transtorno de aprendizado não-verbal. A síndrome de Asperger é associada com tiques. A síndrome de Tourette e o transtorno bipolar, e os comportamentos repetitivos de Asperger têm muitas similaridades com os sintomas do transtorno obsessivo-compulsivo³ e transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva.

 

MAIS HOMENS DIAGNOSTICADOS COM ASPERGER QUE MULHERES

Assim como em outros Transtornos do Espectro Autista4, a estimativa de prevalência da síndrome de Asperger em homens é maior que em mulheres, mas alguns clínicos acreditam que essa estimativa possa não refletir os índices de incidência reais. Tony Attwood sugere que mulheres aprendem melhor a compensar seus déficits devido às diferenças de gênero no manejo da socialização. O estudo Ehlers e Gillberg encontrou um índice de homens que preenchiam o critério Gillberg para Asperger de 4:1, mas um índice menor, de 2,3:1, quando casos de suspeita ou limítrofes foram incluídos.

 

Notas do Tradutor:

¹ Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)

² Síndromes de Hipermobilidade (HAG); uma das variações da Síndrome de Ehlers-Danlos

³ TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo)

4 TEA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s